sábado, 5 de junho de 2010

Antevisão: FC Porto 2010/11

Football Fans Know Better

Finalmente, o 'tabu' acabou por ser desfeito: André Villas Boas foi o escolhido para suceder a Jesualdo Ferreira. O FC Porto chegou, estar quarta-feira, a acordo com a Académica e garantiu a contratação do técnico para as próximas duas épocas. A transferência já foi comunicada à CMVM.

Sendo certo que, fora do relvado, o principal rival do Benfica irá manter a sua identidade de clube, baseada num discurso agressivo e inflamado, dentro do campo as ideias frescas do jovem treinador podem implicar um modo de «jogar» substancialmente diferente. No fundo, novos desafios e problemas para serem decifrados. É este o intuito desta crónica: perspectivar qual será a base táctica do FC Porto, versão 2010/11, avançando alguns mecanismos de jogo que estão subjacentes.

À partida, olhando para o percurso efectuado na Académica de Coimbra, André Villas Boas (AVB) irá manter-se fiel ao 4-3-3, não só por se tratar de um sistema menos exigente de ser assimilado pelos jogadores, mas sobretudo pela melhor distribuição posicional em largura e profundidade. Não creio que a opção pelo 4x4x2 losango, mais rico do ponto de vista táctico, possa tornar-se primeira opção. De qualquer forma, não existem 4-3-3-'s iguais e o de AVB tem particularidades especiais. Supondo que Bruno Alves e Raul Meireles não farão parte do plantel em 2010/11 vejamos, sector a sector, algumas dessas especificidades mais preponderantes.

Defesa
Neste sector, o quarteto mais recuado terá de obedecer a algumas condicionantes. Desde logo, os quarto homens terão de sentir-se confortáveis com a linha defensiva mais subida, muito próxima dos médios. Contudo, em determinadas circunstâncias, aquando da opção por um bloco médio-baixo, os jogadores serão treinados a manter a posse, circulando a bola a toda a largura da defesa. Outro aspecto não menos importante prende-se com as características dos defesas laterais. No exemplo que a imagem ilustra, tanto Miguel Lopes como Álvaro Pereira são atletas de notória propensão ofensiva. No entanto, a profundidade simultânea dos laterais nunca será um princípio de jogo trabalhado por AVB. Assim, será expectável que em face de um lateral mais ofensivo, o defesa do corredor contrário terá um jogo mais posicional, com um perfil que o leve a fechar melhor as zonas interiores, quase como um terceiro central, se assim a ocasião o exigir. Neste sentido, Evaldo, à esquerda, ou uma futura opção, à direita, poderão contribuir para um maior equilíbrio do sector defensivo.

Meio-campo
No sector intermediário, o triângulo que se desenha no relvado será invertido, ou seja, AVB irá potenciar a coexistência de um «pivô» (esqueçam a palavra defensivo) com dois centrocampistas talhados para os momentos de transição. Ao que tudo indica, Fernando será o dono da posição n.º 6, porém com acrescidas responsabilidades: no pensamento futebolístico do treinador portista, o «pivô» terá de envolver-se com maior critério, e predominância colectiva, na posse e circulação de bola, funcionando, naturalmente, como âncora da equipa, mas sem deixar de verticalizar o passe para zonas do meio-campo adversário. Finalmente, relacionado com uma das variantes tácticas em aberto, chamo a atenção para um pequeno (grande) pormenor: o recuo de Cristián Rodríguez, para uma posição de médio-ala e 'vestindo' a pele de um quarto médio, possibilita a subida de Belluschi, Ruben Micael, ou outro, dando margem de manobra ao aparecimento de uma espécie de n.º 10, no espaço central, desenhando uma figura semelhante ao 4x4x2 losango. A imagem de cima retrata esta particularidade.

Ataque
Primeiro ponto: relativamente ao trio de frente em análise, vame a pena mencionar que para a descoberta de uma fórmula de sucesso futebolística, Varela é um avançado que também pode fazer parte da equação. Como em tudo, o jovem treinador terá a palavra final. Por conseguinte, no exemplo que a imagem descreve, Cristián Rodríguez será o extremo encarregue de movimentos em profundidade, oferecendo maior verticalidade ao jogo exterior através da progresão com bola junto ao corredor lateral. Por sua vez, no flanco contrário, as características intrínsecas de Hulk enviarão um sinal de assimetria, na medida em que o brasileiro demonstra maior aptidão para diagonais de fora para dentro, pisando terrenos mais interiores e próximos da área adversária. Por fim, sendo lógico que Falcao terá um estatuto inquestionável, à luz do futebol preconizado por AVB, quaisquer que sejam os nomes daqueles que farão companhia ao goleador colombiano, será dada prioridade a acções mais eficazes e objectivas, ao invés de malabarismos excessivos e inócuos.

Conclusão
Actualmente, tornou-se prática corrente afirmar que não existem certezas absolutas. No futebol, talvez o mais correcto seja a utilização da expressão indicadores qualitativos. Neste sentido, em Coimbra foi visível que o 'discípulo' de José Mourinho apresentou indicadores que tiveram o condão de despertar a curiosidade do meio futebolístico nacional. Portanto, será expectável que a viagem para o Porto, onde o aguarda 'matéria-prima' de superior qualidade, leia-se jogadores talentosos, possa contribuir para o ressurgimento de um futebol mais atractivo e vencedor, pintado a azul e branco. Como tal, graças à presença do novo special one, existe grande probababilidade de que o futebol portista venha a ser mais cerebral, mais apto para um correcto posicionamento, mais confortável na manutenção da posse de bola, mais seguro na circulação da mesma em largura, mais pressionante em zonas adiantadas do relvado, mais acutilante e eficaz na organização ofensiva e, no global, mais dominador e preparado para os vários momentos de jogo (transições) e para os diversos problemas colocados pelo adversário. Um novo desafio para André Villas Boas. Uma recente advertência para Jorge Jesus.

4 comentários:

Tanque Silva disse...

Amigo Cattenaccio sou um assiduo visitante do teu blog, que tem temáticas que eu gosto. Eu também tenho alguns blogs, sendo que o mais importante é o FD Leiria, onde se trata tudo sobre o futebol no distrito de Leiria tem uma média de 1000 visitas diárias. Eu gostava de por no blog algumas formações de equipas e como tal visitei o site onde fizeste esta equipa do Porto. Registei-me, só que não consigo fazer as equipas. Eu ponho o nome dos jogadores,salvo a equipa, mas dá-me um link para uma imagem em branço. Naõ sei se tem algum "truque" e se me és capaz de dar alguma dica? Obrigado desde já, um abraço e continua com o bom trabalho
www.futeboldistritaldeleiria.blogspot.com

Aurelio Estorninho disse...

muito gosto de ver os benfiqueiros preocupados com o clube do dragão!
os benfiqueiros sabem se não tiverem a ajuda dos membros da liga, nada ganham.
foi assim com o cunha leal, e foi esta epoca com o ricardo costa.

o FCP não será nada parecido com esta analise que fazes... preocupa-te com o esquema de jogo do benfas e tenta recordar.te de como são as segundas epocas das equipas do jesus.

Catenaccio disse...

Tanque Silva,

Antes de mais, agradeço o comentário e as palavras elogiosas.

O this11.com não tem 'truque' nenhum. Provavelmente, haverá aí um passo qualquer que está a faltar. Vejamos:

1. Iniciamos o login;
2. Seleccionamos a opção Draw a formation;
3. Escolhemos os nomes dos jogadores e alteramos a cor da camisola;
4. Fazemos save as, se assim o quisermos;
5. Clicamos onde diz Draw this 11...
6. Do lado esquerdo, aparece a formação táctica que 'desenhámos'; do lado direito, os códigos para inserirmos no blog.

De qualquer modo, podemos trocar opiniões através de email. O meu endereço está disponível no profile.

Abraço.

Tanque Silva disse...

Amigo catenaccio, realmente eu faço tudo o que indicas o que acontece é que para finalizar em Draw This 11, essa função nao aparece. Aparece, mas não dá para clicar. Pode ser problema da net ou do computador, vou tentar noutro lado. depois falamos . Obrigado pela ajuda