terça-feira, 5 de abril de 2011

[Liga 2010/11] 25.ª jornada: Sl Benfica 1-2 FC Porto

Ainda não sei muito bem o que escrever sobre o «clássico». Foram demasiadas emoções, antes, durante e após a partida que consagrou os campeões nacionais 2010/11 (25.º campeonato nacional conquistado pelo Porto, contra 32 títulos ganhos pelo Benfica. Adiante. Vamos começar pelo início.

Às 18h00 já estava na Luz. Para evitar confusões de última hora e porque orgulho-me de ter um grupo de amigos que gosta de conviver alegremente, entretido entre iguarias como chouriço de Barrancos, queijo de Seia, pão Alentejano e de Mafra, camarão, vinto tinto e branco caseiro, entre outros. O futebol (também) é isto: aproveitar uma pré-combinação de comes & bebes, pelo simples prazer de estar entre amigos. Agora, o futebol, não pode é ser isto:

Não me vou alongar sobre o tema, porque os desacatos entre adeptos e polícia merece um tópico próprio. Preciso de organizar ideias e escrever algo com mais substância. Uma coisa é certa: mesmo reconhecendo que a iniciativa da confusão parte (quase) sempre da massa de adeptos que resolve começar à pedrada, não posso deixar de sublinhar o espanto pela força desproporcionada de um corpo de intervenção que invade uma zona comercial. Por acaso, encontrava-me dentro do 3.º Anel, do lado oposto ao que a fotografia documenta, mas conheço quem tenha sofrido ferimentos por nada e questiouno-me se de uma próxima vez terei tempo de fugir do gás pimenta ou de um tiro de borracha de shotgun. Inacreditável.

Sobre o jogo, a mesma ordem de razões. Não consigo, ainda, alinhavar um texto que satisfaça os meus requisitos de qualidade. As coisas não correram bem, obviamente. Aliás, desde aquela horrível tarja da Delta (e quem não salta, é carioca de limão?), até ao pascácio folclore no final do jogo, autorizado por alguém sem o mínimo de sensibilidade, que não honra os pergaminhos de elegância de uma instituição caracterizada por elevado altruísmo, até ao "frango" do Roberto e consequente "apagão" exibicional de uma equipa excessivamente ansiosa e nervosa, não há dúvida que, de facto, escreveu-se uma página negra na história recente do clube.

Para já, é o que me ocorre desabafar. Porque creio, também, que o momento deve ser de união benfiquista, na medida em que há um triplete de taças, umas mais importantes que outras, para conquistar. A análise da presente temporada, incluindo avaliação individual dos jogadores que constituem o plantel, deve ser feita no final da temporada, pesando os prós & contras das decisões tomadas pela estrutura profissional de futebol. No entanto, não posso deixar de salientar algumas palavras proferidas pelo magnífico escriba do Ontem vi-te no Estádio da Luz: "(...) A única rota do Benfica é ser humilde e no entanto o que se vê é uma estupidez generalizada baseada numa ideia geral de que somos melhores e por isso temos de ganhar. Não! FODA-SE, CARALHO, NÃO! Ganha-se porque se é melhor, como o fomos o ano passado".

3 comentários:

João Bizarro disse...

Agora só quero ganhar na 5ª Feira e que a equipa volte a mostrar atitude dentro de campo e não aquela passividade demonstrada neste jogo. Há adversários que não merecem, nem precisam que lhes entreguemos o jogo.

Hugo disse...

"uma equipa excessivamente ansiosa e nervosa".

Acho que este foi o principal problema, com toda a envolv~encia belicista que a rodeava.

Estes dois factores, em conjunto, tornaram a ansiedade do Porto em ser Campeão, num factor positivo para eles...

É pena é que muitos benfiquistas,assim que sofremos uma derrota destas (esta mais dolorosa), querem logo sangue e cabeças a rolar...

E o resto?!?Este era o ponto final da época?!?Faltam 3 competições, duas delas bem importantes...

Parece que a Luz não vai encher na Quita-Feira porque muitos viram as costas...

É este o Benfica que temos...Assim não dá!

Saudações Benfiquistas...

EscoltaVermelha disse...

Bom post Catenaccio.

http://escoltavermelha.blogspot.com/