domingo, 20 de maio de 2012

A escolha de um caminho desportivo

Poucas horas passadas após o Chelsea conquistar a (sua primeira) prova máxima de clubes, dei por mim a pensar que há muitas maneiras de vencer. Não me refiro a arbitragens escabrosas, antes porém a distintas filosofias desportivas que vão muito para além da escolha do treinador e do plantel. Não deixa de ser curioso que, de um ano para o outro, de Barcelona a Londres, exista um tão curto espaço de tempo entre dois caminhos desportivos. Como se viu, ambos com sucesso.

Se pensarmos, apenas, nos semi-finalistas deste ano, conseguimos vislumbrar, para lá das naturais particularidades tácticas, características estruturais que conferem um ADN diferente a cada emblema. Senão vejamos. O Real Madrid adopta uma estratégia 'galáctica', ou seja, aposta milionária em craques de cariz ofensivo, de forma a potenciar o merchandising e garantir espectáculo aos adeptos. Por sua vez, o arqui-rival Barcelona, sem deixar de cirurgicamente contratar talento, exprime uma ideia de clube baseada na 'cantera' e num modelo de jogo admirado em todo o mundo. Em traços sucintos, o conceito é este. Depois, o Bayern de Munique mostra insistir numa fórmula, diria, quase pré-Bosman, com um onze marcadamente nacional, onde as grandes figuras (Lahm, Schweinsteiger, ou os mais novos Neuer, Kroos, Müller, entre outros) funcionam como um forte elo de ligação com os adeptos. Numa sociedade marcada pela globalização, resulta quase estranho ver que do onze titular, oito eram alemães. A memória da história, transportada para o tempo presente. Por fim, chegamos ao vencedor deste ano: o Chelsea. À primeira vista, talvez mais parecido, na sua génese 'milionária', com o Real Madrid. Contudo, enquanto a equipa espanhola tem um prestígio centenário, e uma ideologia algo tradicionalista em questões de discurso e imagem, a equipa inglesa é o expoente máximo do futebol moderno. A entrada de capital estrangeiro, personificada no mediático Abramovich, traduziu-se em investimento de milhões. Já agora, sabiam que o presidente do clube chama-se Bruce Buck? O Chelsea representa uma espécie de 'football manager' real, com os milhões a comandarem o sonho de transformar um clube, igual a tantos outros, numa equipa preparada para as maiores conquistas. Por fim, esta época, conseguiram retirar dividendos desportivos dessa aposta.

Bem, mas para quê esta conversa toda? Porque, por vezes, é interessante pensar que o futebol é mais do que técnicos e jogadores, quando existe uma estrutura directiva que arquitecta um planeamento, uma estratégia, um caminho para, no fundo, ser o melhor em competição. E, claro, para chegar ao Benfica. Tenho andado a ler muito a blogosfera e, confesso, as conversas andam um bocado para o aborrecido. Demasiado centradas no indivíduo: jogador "X", treinador "Y", presidente e/ou (suposto) candidato "Z". Durante o dia, leio muitos argumentos, na sua maioria bem escritos, não ponho em causa, embora também excessivos na linguagem entre os anti e os pró-Vieira. Um confronto entre benfiquistas "keyboard warriors", em que a forma se superioriza à substância. Obviamente, a liderança pode, e deve, ser questionada, mas o que gostava de ver debatido eram ideias. Ideias de um caminho desportivo, baseado numa estratégia que esteja acima dos meandros tácticos do treinador. Um verdadeiro rumo para o clube, capaz de conciliar a saúde financeira com o sucesso nos relvados. Face aos exemplos que dei anteriormente, e sabendo de antemão que o Benfica apresenta um traço genético inimitável, com que ideologia futebolística mais se identificam? Qual a que mais admiram? Gostariam, por exemplo, de repetir a fórmula do Bayern, contando com vários portugueses no onze titular, alguns com vários anos de águia ao peito? Ou, pelo contrário, preferiam uma filosofia com uma aposta baseada na 'cantera', transportada para um modelo de jogo tipo Barcelona? Seria possível "copiar" (com tudo o que a palavra implica) os aspectos positivos, sem desvirtuar a cultura existente? Viam com bons olhos a entrada de um magnata, capaz de dotar o plantel de mais-valias qualitativas inquestionáveis? Eu diria, e o leitor deve estar a pensar o mesmo, que o Benfica tem de pensar e percorrer o seu próprio caminho. Evitando que termine num precípicio. Num ciclo sem retorno. Que estratégia institucional? Que política de activos? Que caminho desportivo? Futuro, precisa-se.

4 comentários:

Vasco disse...

Concordo com TUDO o que dizes, porém o Real Madrid que descreve já não é assim, pelo menos o Real de Mourinho.
Quanto ao Benfica, Rui costa dizia que iríamos ter uma táctica-base em todos os escalões, 4-3-3. Que Quique Flores ou quem quer que fosse, treinaria essa táctica podendo(como é óbvio) ter uma opção B. LFV dizia que queria o 11 base formado por portugueses(como em 2004-2005) mas...

Saudações gloriosas

Pedro disse...

Eu optava por um mistura das 4 opções! ☺

Promover os jogadores da formação, procurar manter os pilares da equipa anos a fio, contratar "apenas" grandes jogadores com vista ao reforço claro da equipa e futebol atractivo e acima de tudo vencedor.

Acima de tudo temos que perceber onde nos podemos colocar no mercado e qual a estratégia que nos poderá dar mais sucesso. Não é preciso ser um génio para perceber q não podemos competir financeiramente com a maioria das ligas fortes da europa pelo que a aposta tem sempre q ser pela formação, pela descoberta de valores antes dos tubarões e depois vender bem. Vender bem para permitir contratar novamente e manter os tais pilares.

Com um projecto sólido, vencedor e ambicioso, jogadores como Aimar e Javi (pelo que nos é dado a conhecer de ambos) que se sentem muito bem no clube, não se sentem tão aliciados pelos euros de outras ligas. É aqui q temos q vencer.

Javi Garcia prefere ser o esteio e o simbolo que já é no clube do que ir ganhar mais uns tostões lá para fora, para um país onde pode nem se adaptar etc. Mas isso só é possível se o clube for vencedor, der titulos aos jogadores e ambição de ganhar sempre mais.

David J. Pereira disse...

Olá!

Podemos fazer uma troca de links entre blogues por favor?

O meu é: http://davidjosepereira.blogspot.pt/

Muito Obrigado!

Depois passem pelo meu a confirmar a troca, para eu também adicionar o vosso blogue aos meus links

Catão disse...

~Tenho escrito sobre isso em assembleiadesexta.blogspot.com