quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

[Taça da Liga] V. Guimarães 0-2 SL Benfica

Quanto à partida, não me vou alongar demasiado. Foi perceptível a diferença na atitude dos jogadores, para melhor, conjugada com elevados índices de concentração e solidariedade defensiva. É verdade que ajudou o facto do golo ter aparecido cedo. Porém, a equipa teve um comportamento táctico digno de registo e transmitiu, quase sempre, tranquilidade a quem seguia o jogo. Em resumo: a performance colectiva esteve longe de ser brilhante, até porque na 2.ª parte a equipa chegou, praticamente, a abdicar do ataque, mas há que realçar o acerto posicional e a agressividade imposta nas transições defensivas. Ficou patente que, por vezes, mais vale evitar o uso excessivo do futebol directo e, ao invés, privilegiar uma posse de bola segura que permita um maior controlo dos acontecimentos.

Para finalizar, gostaria de dedicar este parágrafo a Miguel Vítor. Curiosamente, o jovem formado nas escolas do Benfica foi o único jogador português a constar da lista inicial do onze titular. Até Carlos Carvalhal, que comentava as incidências da partida, referiu-se à sua actuação (personalizada) em tom elogioso. Não podia estar mais de acordo. Apesar de um ou outro erro, sem consequências de maior, que bela exibição fez o 'míudo': muito concentrado e determinado, raramente perdeu lances divididos e revelou enorme disponibilidade para "varrer" a sua área de jurisdição. Congratulo-me por verificar que um jogador formado na Luz vai conquistando o seu espaço, ganhando a confiança de colegas, o respeito de adversários e a admiração do mundo do futebol. Embora haja quem pense o contrário, sou da opinião que a construção da mística passa muito pela aposta e crescimento de jogadores umbilicamente ligados ao clube que representam. Para os mais puristas, em questão de números, vale a pena observar a sua estatística pessoal, referente à época em curso.

9 comentários:

preto disse...

o paragrafo dedicado ao Miguel Vitor é totalmente merecido. Vejo nele o futuro capitão do Benfica.

Catenaccio disse...

Esperemos bem que sim. O Benfica precisa de jogadores com qualidade, sem dúvida, mas também é importante contar com elementos com um percurso idêntico ao de Miguel Vítor.

Casqueiro disse...

Totalmente de acordo com o post e com o comentario do preto.Com estes jogadores mais Reyes teremos a equipa ideal que está na cabeça de Quique,mas pessoalmente acho que a conjugação desses jogadores com o modelo e estratégia utilizados não chega para o titulo.

Ricardo disse...

Já há uns tempos que venho defendendo a utilização de Miguel Vítor em detrimento de Sidnei por achar que, no momento actual, o miúdo da formação erra menos e decide melhor. Ontem foi mais um exemplo dessa maturidade que demonstra ter. E mais notável se torna se pensarmos que não tem tido assim tantas oportunidades para criar rotinas com Luisão. Para mim, é titular. Se possível, por muitos anos.
Concordo totalmente contigo quando dizes que uma equipa deve ter estes elementos da formação a jogar. Sem eles, só com estrangeiros ou portugueses que não vivem o Benfica desde muito novos, o clube perde em identificação com os adeptos e com a sua própria história.

Abraço!

Nuno disse...

Lamento, mas discordo totalmente da utilização de Miguel Vítor. Não vi o jogo ontem, como tal não sei como foi. Mas não lhe reconheço grande valor. Quando se diz que erra pouco, comete-se um ligeiro erro. Veja-se o jogo contra o Nacional. Miguel Vítor esteve muito mal. E aquele tipo de jogos é frequente. Conheço-o desde as camadas jovens e não lhe auguro grande futuro. Pode ser suplente do Benfica, mas não acredito que tenha qualidade para mais...

Um abraço

Catenaccio disse...

Não partilho da opinião, mas todos os pontos de vista são válidos.

Por falar em Miguel Vítor, aproveitaria o tópico para destacar renovação do jogador por mais dois anos. A notícia pode ser lida, integralmente, aqui:

http://www.slbenfica.pt/Informacao/Futebol/Noticias/noticiasfutebol_futmiguelvitorrenov_090109_43546.asp

Ainda assim, no seguimento do tema formação e mística, algumas frases de Miguel Vítor chamaram-me a atenção. A saber:

"Tenho a clara noção da grandeza do Clube e do que é representá-lo desde adolescente. Isso só me beneficia e aos meus colegas, pois posso transmitir com maior facilidade aquilo que fui apreendendo acerca da cultura benfiquista, ao longo dos anos".

"Fico contente por ver que o Benfica está a apostar na formação e que existem excelentes valores a emergir da mesma. Só posso dizer a esses jovens que, tal como eu, trabalhem todos os dias com o mesmo afinco e "bebam" da mística benfiquista, pois um dia poderão vir a ter também a sua oportunidade".

PB disse...

sou amigo pessoal de quem já foi treinador do Victor no Benfica.

Diz-me que o miudo n tem mt talento, mas q é mt concentrado, mt inteligente, e q n sabe bem explicar pq, tem aquilo q ele apelida de "ratice", q o faz como q adivinhar os lances e resolve-los.

Diz q merece tudo de bom. E q tem capacidade para isso!

Catenaccio disse...

Obrigado pelo contributo PB. Penso que o retrato feito assenta bem em face daquilo que temos visto Miguel Vítor fazer.

Cumprimentos.

João José disse...

Já alguém disse que o futebol é 10% talento e 90% trabalho. O Jorge Costa e o Fernando Couto de talentosos (cito estes por se enquadrarem no perfil) pouco tinham mas...