quarta-feira, 17 de junho de 2009

Apresentação: Movimento 'Benfica, Vencer, Vencer'

Como era de esperar, estive ontem presente no Hotel Sheraton e segui com atenção a apresentação pública do 'Movimento'. A sala estava muito bem recheada, com benfiquistas a mais e ar condicionado a menos. Porém, o calor que se fez sentir não deixou esmorecer o apoio.

Obviamente, marcaram presença muitas caras conhecidas: Artur Correia, José Augusto, Mozer, Veloso, Manuel Damásio, Vítor Santos, João Carvalho, Fernando Tavares, José Veiga, Carlos Colaço, Telmo Correia, entre muitas outras. Sendo certo que admiro grande parte dessas figuras, mantenho alguns anti-corpos face a uma ou outra personalidade. No entanto, convém não esquecer que o 'Movimento' é aglutinador: pretende ser de inclusão e não de exclusão. Apreciei os discursos e gostei da moldura humana. Fiquei satisfeito por verificar que há imensos benfiquistas, de vários quadrantes, que clamam por uma alternativa melhor e mais virada para o sucesso desportivo.

Quanto ao candidato, já sabia que o nome de José Eduardo Moniz poderia ser uma forte hipótese e ficaria satisfeito se essa possibilidade se tornasse real. O director-geral da TVI tem trabalho para apresentar, é extremamente competente e bom profissional. Revela habilidade para gerir projectos ambiciosos e sabe liderar um conjunto vasto de pessoas. No fundo, tem uma carreira insuspeita, não cabe no rótulo de 'abutre' ou oportunista, tem visibilidade pública assente numa boa imagem e, também, um discurso cuidado e educado. Ainda por cima é benfiquista, sofre pelo clube e gosta de futebol. Espero que dê certo.

[Vídeo] Apresentação do 'Movimento Benfica, Vencer, Vencer'

[Vídeo] Entrevistas ao 'Movimento Benfica, Vencer, Vencer'

Para terminar, faz sentido colocar a questão: qual o percurso profissional do possível candidato às eleições do Sport Lisboa e Benfica? Vamos conhecer melhor José Eduardo Moniz...

Director de televisão, José Eduardo Moniz nasceu em 1952, nos Açores. A sua ligação ao jornalismo começou aos 18 anos em Lisboa, quando estava a frequentar o primeiro ano da universidade e pediu ao irmão para lhe arranjar qualquer coisa para fazer. Acabou por ir para o Diário Popular como jornalista estagiário e ao fim de seis meses entrou para o quadro do jornal.
Em 1973, editou um livro sobre educação, a área onde trabalhava no jornal, intitulado "A Crise Incógnita na Universidade em Portugal".
Aos 25 anos, José Eduardo Moniz já era coordenador da área de educação no Diário Popular e foi nessa altura que se mudou para a RTP. Foi levado para o canal estatal de televisão por Botelho e Silva, o seu chefe de redacção no Diário Popular, que tinha assumido o cargo de director de informação na RTP. O jornalista açoriano foi convidado a exercer o cargo de chefe-adjunto do departamento de Actualidades, sector onde eram tratadas as entrevistas e as grandes reportagens. Na RTP foi ainda editor-chefe, com a responsabilidade dos telejornais e da informação não-diária, e chefe dos serviços de informação dos Açores, tendo assim regressado à sua terra natal.
Depois voltou a Lisboa e passou a apresentar telejornais após ter substituído um colega ausente. Simultaneamente, José Euardo Moniz foi chefe de departamento de noticiários e subdirector de informação.
Em 1983, devido a mudanças no poder político, passou a desempenhar um papel pouco activo na RTP, mas, em compensação, apresentou as emissões da manhã da Rádio Renascença e foi director da revista Telestar.
Em finais de 1985, regressou aos cargos de chefia na RTP, onde passou a ser director de informação, para ficar na estação televisiva até 1994. Nesse ano, saiu e fundou a produtora de televisão MMM, que realizava trabalhos para a RTP.
Quando ingressou na TVI, para onde foi desempenhar o cargo de director-geral, vendeu a sua participação na produtora MMM, de modo a libertar-se de todos os compromissos externos. O ingresso de Moniz na TVI deu-se numa altura em que este canal privado de televisão atravessava uma grande crise, nomeadamente a nível de audiências. Mas, desde o ano 2000, uma série de programas de sucesso, entre os quais se deve destacar o concurso "Big Brother" e as telenovelas de produção portuguesa, levaram a estação a ser a mais vista em Portugal. A mudança de imagem que José Eduardo Moniz operou na TVI deu assim frutos quase de imediato.

11 comentários:

João Almeida disse...

Pessoal:

Uma dica e verdadeira:

Há pessoal que aderiu ao movimento vencer, vencer que está a receber dinheiro para dar a cara a aparecer publicamente.

A unica chatice é que estava tudo combinado($) até Outubro e agora como vai ser(data) é menos dinheiro, daí existir MUITA VONTADE de manter o movimento depois das eleições.

Para já fica esta notazinha futuramente virão outras....

Já agora tentem saber o estado de vida e ambições de alguns que apareceram ontem.O dr rangel até disse que eram"o movimento, repleto de pessoas sérias e credíveis" e porque alguns estão à espera dos processos para irem "lá para dentro" por causa de "cardanho".

Esperem e logo vêm.

Mas podem tentar saber mais alguma coisa sobre este " pessoal" "sério".

João Almeida disse...

Continuação:
Mas vamos por partes: Como é possivel que uma distinta senhora a quem no passado Veiga chamou "put..." tenha estado ontem aos saltos ao lado deste. Como é possivel ver José Augusto, a quem a família de Torres ainda hoje pergunta pelo dinheiro de uma homenagem feita no passado, e que esteve com Vale e Azevedo se prestar àquele triste papel de 'jarra' de mesa. Aquilo que vimos antem é um amontado de revanchistas que a última coisa em que pensam é nos interesses no Benfica.

E o resto que está para sair.

Quem é a pessoa idonea do grupo que tem cheques carecas espalhados por tudo quanto é sitio.

Já agora o vale a Azevedo pode-se juntar à causa Fará as PAZES com O DR: RANGEL nesta altura todas as balas são de aproveitar e diz o DR RANGEL quem estava na presença de pessoal integro.Isto é BIBIS, MANUEL DAMÁSIO, VEIGAS, VELOSOS, JOSE AUGUSTO há já agora de forem ao fundo de DESEMPREGO ARRANJAM no minimo 500.000 votos. Há SR. o tal da bofetada no brasileiro no aeroporto, ah e como está as outras histórias de dividas de alguns dos artistas de peso NISTO o Dr. Rangel vai ter muito trabalho.TRABALHO A RESOLVER ASSUNTOS PENDENTE.

H. disse...

A mim parece-me um bando de ressabiados...que por este ou outro motivo têm algo contra LFV, e não vale a pena enumerá-los um a um

Rui Miguel Soares disse...

Foi muito fogo de vista, durante semanas andou-se a falar do movimento que iria reunir a familia Benfiquistas, ter a sua frente Benfiquistas crediveis e que iria trazer um projecto de futuro.

Com a apresentação nada se viu, os mesmos a procura de "tacho", dos Benfiquistas crediveis nenhum quer dar a cara pelo movimento e o projecto resume-se a um conjunto de intenções.

A conclusão é que afinal estamos muito bem , tal como estamos.

O MVV não passa de um flop e turo será preferivel ao regressar a era Vale e Azevedo.

Catenaccio disse...

Caro João Almeida,

Fico muito lisonjeado pela sua visita, mas julgo que está a perder o seu tempo: porque não direcciona os seus esforços para a imprensa desportiva e formaliza essas acusações?

Eu entendo a preocupação. Aliás, bastou seguir a entrevista de Luís Filipe Vieira na RTPn e acompanhar a apresentação de Jorge Jesus para verificar que o presidente anda mesmo mal disposto. Deve ser do calor que não o deixa dormir...

Eu também ficaria mal-humorado, depois de ver uma sala repleta de pessoas a quem chamam de 'abutres' e 'oportunistas' - arma muito utilizada por indivíduos com fraca capacidade oratória e que promovem a dicotomia 'Bushiana' entre o bem e o mal. Como se o mundo se dividisse entre bons e maus benfiquistas. Pelo contrário, há benfiquistas que, pura e simplesmente, não estão para aturar mais incompetência e estão cansados de 3.ºs e 4.º lugares.

Sabe, o 'Movimento' pretende ser aglutinador, ambiciona ser um espaço de inclusão e não de exclusão. Portanto, é natural que existam pessoas de vários quadrantes da sociedade portuguesa, as quais fizeram questão de marcar presença no Hotel Sheraton: Artur Correia, José Augusto, Manuel Damásio, Jaime Antunes, Gaspar Ramos, José Veiga, Vítor Santos (o Pai do Estádio?), João Carvalho, Fernando Tavares, Rui Rangel, Vasco Pinto Leite, Telmo Correia, António Veloso, Mozer, entre outros.

Caro João Almeida, quanto às acusações por si proferidas desconheço completamente. Estou em crer que para si faça imensa confusão comprovar que há um número crescente de benfiquistas que procuram uma outra alternativa, válida e vitoriosa, apenas por convicção e porque acreditam ser possível fazer melhor. Porque é disso que se trata: mudar o paradigma do clube, em termos de modelo empresarial, comunicacional, social e desportivo, por exemplo.

Já agora, não é o 'Movimento' que dispõe de uma jornal, uma revista e um canal de televisão. Não é o 'Movimento' que tem um jornalista no jornal "A Bola" que faz as perguntas e dá as respostas. Não é o 'Movimento' que tem na Benfica TV pessoas alinhadas para proferir baboseiras. Como se costuma dizer, "não há almoços grátis". Haja coerência, paciência e bom senso.

Paulo Santos disse...

O Sr. João Almeida é o paradigma do estado de coisas a que, infelizmente, chegou o Benfica.

O maniqueísmo do bem contra o mal, é dos argumentos mais consistentes para a justificação das causas menos nobres - a história está cheia de exemplos.

Para o Sr joão Almeida e outros que tais, Luís Filipe Vieira deveria ser presidente vitalício, pois ai daqueles que surgem - manifestando legítimo descontentamento com o caos desportivo a que o futebol do clube chegou - com ideias e projectos diferentes para o clube. Só Vieira é sério e competente (o que não deixa de ser algo de muito risível), o resto é tudo abutres, oportunistas, e outros rótulos do género...patético!

Sr João Almeida, esforçe-se um pouco mais, pois o que escreveu apenas merece uma longa gargalhada...


Já agora, Catenaccio, queria só acrescentar algo. No jornal "A Bola", a manipulação é diária e permanente, e não é apenas aquele jornalista a promover a coisa...

Tiago disse...

Caro Catenaccio

Aquando da apresentação neste espaço do movimento demonstrei curiosidade sobre quem seriam as pessoas que dariam a cara pelo mesmo. Estava satisfeito, por ver o varanda fernandes. Uma pessoa que não defino como oportunista do momento, a exemplo do Jaime Antunes. Depois de ver a apresentação, confesso que me assustei. Não tanto pelo José Veiga. Não nutro uma admiração por JV, mas admito que é uma pessoa que se "mexe" bem no mundo do futebol e admito, uma mais valia na blindagem e condução da equipa. Um bom back-office. Admito...Não quer dizer que o aceite.Mas continuando: ao ver determinadas figuras na apresentação (ex: pinto leite, jaime antunes, gaspar ramos, manuel damásio por exemplo)fiquei com a sensação que é um conjunto de pessoas que não me inspira confiança. Nenhuma! Caro Catenaccio: sou sócio à 18 anos. Desde os meus 14 anos. Vi o Benfica ser campeão, a festejar, 3 vezes! 3! Nos ultimos 18 anos. Por lá passaram: João Santos, Jorge de Brito, Manuel Damásio, Vale e Azevedo, Manuel Vilarinho e Luis Filipe Vieira!
Tendo eu 32 anos, admito que as pessoas da minha geração tenham visto (admito que não fui pesquisar, logo não estou a ser preciso nos números) visto o Benfica campeão em 26 anos entre 8-10 vezes. Ou seja nem toda a responsabilidade advém dos últimos 7 anos. Olhando para os resultados desportivos dos presidentes anteriores a Manuel Vilarinho, nomeadamente MD e VA só MD conseguiu um titulo de campeão nacional. VA uma taça de Portugal. Financeiramente falando e de contratação de jogadores e politica desportiva poderiamos falar de operações coração, de fica amaral, de umas quantas decisões que mais não fizeram do que despretigiar a instituição Sport Lisboa e Benfica. MV e LFV conseguiram dar a volta e credibilizar novamente o nome e marca Benfica.
Ao ver as pessoas que apoiam o movimento deparo-me com muitos rostos do passado mais triste do Benfica. Não quero para o Benfica essas pessoas. Estou feliz com o momento actual? Não! O LFV é populista? É! O Rui COsta fez um bom trabalho? Não! Mas prefiro neste momento olhar para o meu clube como algo estruturado e organizado, com uma linha estratégica (no sentido global) orientada e definida, do que voltar a ter um grupo de oportunista (e desculpe-me porque qualquer sitio onde esteja Jaime Antunes para mim é um antro de abutres) que não apresentam nada de novo para o Benfica. Apenas uma possibilidade de regresso ao passado, um medo de voltar atrás e perder tudo o que foi feito daí para a frente.

Ricardo disse...

Ricardo,

Moniz não me parece um mau candidato mas acho que, com a antecipação das eleições, o Movimento perdeu quaisquer hipóteses de lançar um candidato vencedor.

Uma questão: falas que no Sheraton esteve Gaspar Ramos, mas agora mesmo ouvi na rádio, no "Bola Branca", o mesmo Gaspar Ramos a dizer que o Movimento, apesar de ser um projecto interessante, tem uma falha grave, que é ter Veiga como protagonista.

Em que ficamos? Gaspar Ramos não esteve no Sheraton ou esteve e arrependeu-se?

Abraço!

Catenaccio disse...

Ricardo,

Claro que o Gaspar Ramos esteve no Sheraton. Quanto a isso não há dúvidas.

Se ele realmente disse o que escreveste é porque estava meramente na condição de observador e não de apoiante.

Tiago,

Com calma e mais disponibilidade respondo ao seu comentário. Não fica esqeucido, prometo.

Cumprimentos.

João Almeida disse...

Ao Catenaccio

A sua conversa não tem resposta porque o meu caro não sonha o que é o mundo do desporto, ou ser dirigente, e se sabe de desporto é através dos escribas ou paineleiros de resto é nulosobre o assunto. Sobre o Benfica dir-lhe-ei o seguinte O PIOR BENFIQUISTA QUE EXISTE É AQUELE QUE COSPE NO PRATO ONDE COMEU.É o caso de muitos que ali estão.è publico e do conhecimento geral os expedientes públicos de alguns, como exemplo pergunte ou tente saber onde está o dinheiro que era para o JOSE TORRES pergunte oa jarra da mesa ou a outro dos presentes onde está o dinheiro dos bilhetes que foram para as casas e que desapareceu.FICO por aqui para já.Como nota final dir-lhe-ei que houve uma falha, faltou uma pessoa importante.JOÂO VALE E AZEVEDO.

Para si tenho duvidas do seu BENFIQUISMO em todo o caso as mihas saudações.

Catenaccio disse...

Caro João Almeida,

Em primeiro lugar, um bocadinho de boa educação não fazia mal.

Em segundo lugar, se o meu conhecimento sobre o mundo de desporto é nulo, então elucide-me sobre quais as suas virtudes. Não tenho prática de dirigismo, mas os meus conhecimentos sobre o universo das sociedades anónimas desportivas são bem razoáveis, visto ser o tema central da minha dissertação de mestrado.

Em terceiro lugar, não cuspo no prato em que comi. Apenas não sou obrigado a partilhar da sua visão de futuro sobre o clube.

Quarto, antes de emitir opiniões não fundamentadas, devia pensar um bocadinho. Não votei Vale e Azevedo e já expliquei, em tópicos anteriores, que defendia Luís Tadeu, a quem 'ofereci' os meus 20 votos.

Quinto, a mim não me dá lições de benfiquismo. Não há benfiquistas melhoers ou piores: há benfiquistas com diferentes opiniões e visões. Desconheço qual o seu número de sócio, mas não escondo o meu: 25.998, prestes a completar 20 anos. Não lhe admito esse tipo de comentários.

Sexto, não sou obrigado a suportar as suas insinuações e acusações. Não estando em causa diferenças de opinião, se pretende vir debater com sobriedade e elegância, é muito bem-vindo. Caso contrário, reduza-se à sua insignificância que o seu tempo neste blogue atingiu o prazo de validade.

Passe bem.