quinta-feira, 18 de junho de 2009

A recusa de José Eduardo Moniz

José Eduardo Moniz, diretor-geral da TVI, não vai entrar na corrida eleitoral do Benfica. O patrão do canal de Queluz resolveu não aceder ao convite endereçado pelo movimento "Benfica, Vencer, Vencer" mas, na sua declaração aos jornalistas, não rejeitou a possibilidade de, no futuro, disputar a presidência do clube da Luz. Aliás, foi ao ponto de afirmar que, com mais tempo, "contaria uma estória diferente".

Confessando a "amargura e tristeza" por ver o clube passar "da glória à banalidade", Moniz garantiu ainda que não busca "objectos de ordem material" e que não precisa do Benfica "para obter projecção ou notoriedade". "Não me interessa ganhar por ganhar, para depois ser obrigado a gerir um projecto de outros, que seria o que aconteceria dados os compromissos entretanto assumidos pela Direcção em gestão", acusou.

[Vídeo] Conferência de imprensa de José Eduardo Moniz

Apesar do 'truque' das eleições antecipadas, desde o início acreditei que surgisse uma lista credível, repleta de benfiquismo e composta por indivíduos de reconhecida capacidade profissional. Inclusive, com grandes hipóteses de vencer já no dia 3 de Julho. O cenário contrário seria deitar como perdido todo o tempo depositado no 'Movimento', desiludindo uma onda vermelha cada vez maior e matando a crença e esperança de muita gente.

Esperava uma figura forte, com verdadeiro impacto e visibilidade junto da nação encarnada. Alguém que mexesse com o coração das pessoas e as fizesse ter fé numa alternativa válida, capaz de olhar pelo futuro do clube. Não sendo assim, os próximos anos serão, muito provavelmente, uma fotocópia das últimas épocas: enorme prejuízo e insucesso desportivo.

Os vieristas ganham, mas é o Benfica que perde. Trata-se, tão só, de uma constatação coerente com aquilo que tenho vindo a escrever há uma série de tempo. Nada que seja novidade, portanto. Assim, da actual estrutura encarnada, Rui Costa é a única personalidade capaz de transmitir ainda alguma motivação para a temporada 2009/10. De qualquer modo, o sentido de voto está decidido: nulo.

O que resulta disto tudo? A experiência gratificante de ter feito contactos com várias pessoas do mundo do futebol, ter conhecido imensos anónimos de blogues e sites e, o mais imporante, ter feito parte de um projecto em que sempre depositei enorme esperança.

Sim, a desilusão é profunda. Pode-se afirmar que ficou plantada a semente para uma colheita futura. Porém, os resultados práticos são pouco mais do que nulos. Desconheço, agora, qual será o percurso e posicionamento de grande parte dessas pessoas. Eu cá estarei, como sempre, a actualizar este cantinho e a sofrer pelo meu Benfica.

21 comentários:

playmaker disse...

eu não sou vieirista mas fico com a sensação de que quem ganha é o Benfica...porque será?!

Paulo Santos disse...

Playmaker, desculpa a sinceridade, mas respondendo à tua pergunta, é porque andas enganadinho de todo...infelizmente.

Ricardo disse...

Desiludo, sim, mas bastante optimista em relação a um futuro que, mais cedo ou mais tarde, vai originar um Presidente certo para o Benfica.

O Movimento, a meu ver, incorreu numa sucessão de erros que o fragilizaram totalmente: a incapacidade para gerar um candidato mais cedo; a mistura, dentro do projecto, de pessoas altamente credíveis com autênticas aberrações da natureza (Damásio no Movimento? Mas está tudo louco? Bibi? O próprio Veiga?); a forma pouco clara como começaram a divulgação pela internet. Estes três vectores fragilizaram o Movimento mas dele podem e devem extrair-se pontos muito positivos:

- o Benfica foi devidamente discutido e debatido entre benfiquistas;

- a noção de que há muitos adeptos e sócios descontentes com a actual Direcção;

- a certeza de que Vieira, mesmo ganhando as eleições, está pressionado e terá de cometer muito poucos erros no futuro se quiser cumprir os 3 anos.

- a apresentação de uma personagem (Moniz) que, tenho a certeza, terá agradado a muitos benfiquistas, mesmo sendo segunda escolha do Movimento. Moniz demonstrou não optar pelo facilitismo da candidatura imediata, mostrou ser lúcido, quando recusou candidatar-se a um cargo em que teria de aceitar as opções já feitas pela actual Direcção e lançou as bases para poder ser uma opção credível de futuro.

Ao Movimento, aconselho que abdique de personagens nefastas ao clube e que não representam, nem nunca representarão, o Benfiquismo que queremos ver nas pessoas que dirigirem o nosso clube. Saibam criar uma linha ideológica mais consistente e menos confusa, promovam a constante discussão do Benfica e, nada despiciendo, continuem a apoiar o Benfica, muito para além de Vieira.

Jesus, Rui Costa e todos os atletas merecem que os apoiemos. E, um dia, com esperança de que seja quanto antes, Vieira sairá do Benfica.

Até lá, e apesar da desilusão de o termos por mais 3 anos, VÃO AO ESTÁDIO!

Abraço.

J G disse...

ricardo

conheço bem a sensação que vives.
senti-o no dia em que o F.Santos foi apresentado na Luz.
Nessa altura resolvi combater o meu desânimo abrindo o Encarnado e Branco que sucedeu ao Terceiro Anel.

Durante 3 anos mantive o espaço actualizado diariamente. Quando vi que não foi só o ano do Santos que me trouxe desilusões atrás de desilusões desanimei.

Pelo meio houve a motivação de defender um espaço que habito na luz, o topo sul, tão mal tratrado e injuriado em toda a imprensa. Foi bom ter um espaço onde me pudesse defender e explicar-me.

Com a proximidade das eleições, e mais um ciclo de derrotas a chegar ao fim "era quique" , tive a visão de um futuro negro.

Depois de algumas conversas com pessoas ligadas ao clube o meu desanime atingiu limites máximos que me fizeram parar e encerrar o blogue.

Tudo o que aconteceu a seguir foi ainda pior daquilo que eu pensava. O golpe de antecipar as eleições, e ontem o caminho aberto para mais 3 anos de Vieirismo é um duro golpe para nós todos que estamos fartos de tanta mediocridade dentro de campo.

A vinda de Jorge Jesus faz-me recordar a chegada de Fernando Santos.
Não sei onde vou buscar forças para começar mais uma época de apoio constante, para renovar um cativo na Luz, para continuar a pagar quotas, para gastar dinheiro que custa a ganhar em viagens de apoio de Agosto a Maio.
Não sei.

Mas sei que posso concentrar-me num objectivo: chegar a Maio de cabeça levantada para receber a minha águia de prata por 25 anos de associado. E para a merecer em pleno sinto obrigação de não voltar costas ao emblema que amo.
Isso pode significar até em pensar num novo espaço para publicar as minhas prosas a acompanhar a nova época desportiva.

Ricardo, arranja também um objectivo forte, se fores capaz. Em último caso olha hipnoticamente para o nosso emblema. É ele o responsavel desta nossa "doença".
abraço

Tiago disse...

Acabei de ouvir na integra as declarações de moniz. Ontem não tive possibilidade.
Na sequência do comentário de ontem, fico feliz que este movimento não avance. Não por Varanda Fernandes, não por Moniz, nem tanto por Veiga. Mas pelos ouros que se mostraram e tentam fazer de Benfica o que ele foi. Não nos anos 60, mas no final dos anos 90 e até 2002! Neste sentido sinto-me aliviado.
EM relação às declarações de Moniz, e tentando-me distanciar dos interesses televisivos possivelmente interessados nesta candidatura, achei-as coerentes e seguras. Surpreendeu-me. As razões que apresentou foram bem explicadas. Um candidato a ter em atenção para o futuro.
Catenaccio: não se incomode com comentários menos correctos. Se à espaço em que se pode ser contrário às opiniões do "escriba chefe" é aqui.
Cumprimentos

Miguel Oliveira disse...

http://pelofutebol.blogspot.com

Palhacito disse...

Não sou Vieirista (bem pelo contrário) e sou totalmente a favor do aparecimento de alternativas válidas, mas por amor de Deus... custa-me a compreender como é que benfiquistas vêem neste movimento uma alternativa válida.
1 - É constituído por pessoas que nada têm a ver uma com as outras; a única coisa que têm em comum é um inimigo: o LFV; algum dia, assumindo a liderança do Benfica, eles se iriam entender?
2 - Muitas destas pessoas que pertencem ao movimento já provaram no passado não serem propriamente modelos nem de competência nem de seriedade (atenção que também não estou a afirmar que a actual direcção é totalmente competente ou totalmente séria); mas algumas destas pessoas já chegaram mesmo a prejudicar o nosso clube no passado;
3 - Aparentemente há, por trás desta lista, interesses um pouco obscuros e externos ao Benfica: interesses privados, económicos e de de valorização pessoal;
4 - Ainda não se deu conta de este movimento ter propriamente um projecto para o Benfica.

Não se esqueçam que o importante em tudo é o dinheiro - infelizmente no futebol também já assim o é há alguns anos; não se esqueçam que há muitos grupos económicos que lucram muito com o futebol, que lucram muito com o maior clube português; não se esqueçam que há muitos outros grupos económicos que também gostariam de lucrar. Tendo em conta que uma boa parte destes lucros está nos direitos de transmissão televisiva e que o contrato do Benfica com a Olivedesportos termina na época 2010/2013, é fácil perceber que há muita gente interessada em ter influência nas decisões do clube quando se tomar a decisão quanto à renovação ou não renovação deste contrato e, neste segundo caso, na celebração de contrato com outra(s) empresa(s). É se calhar por isso que se têm perfilado como alternativas algumas figuras ligadas aos meios de comunicação social (Bruno Carvalho, José Eduardo Moniz, José Marinho). Não vou tão longe como alguns têm ido (e eu também poderia ir) como afirmar que o Bruno Carvalho, por ser director do Porto Canal, tem ligações ao Porto (clube) ou que o José Eduardo Moniz, sendo amigo pessoal do Joaquim Oliveira há largos anos, pudesse ser um meio deste entrar no Benfica... mas, mesmo sem esta componente (quiçá) imaginária, acho que fica perfeitamente claro que as movimentações que têm havido para estas eleições têm muito mais a ver com interesses externos ao clube do que ao Benfica em si e, assim sendo, ainda não se assistiu à apresentação de uma alternativa válida - existe a lista da Farmácia Franco, mas infelizmente tem estado um pouco longe dos holofotes e, deste modo, reconheço de desconheço um pouco o seu projecto e as suas intenções.

Saudações benfiquistas!

João Almeida disse...

Ao Ricardo:

"O Movimento, a meu ver, incorreu numa sucessão de erros que o fragilizaram totalmente: a incapacidade para gerar um candidato mais cedo; a mistura, dentro do projecto, de pessoas altamente credíveis com autênticas aberrações da natureza (Damásio no Movimento? Mas está tudo louco? Bibi? O próprio Veiga?); a forma pouco clara como começaram a divulgação pela internet. Estes três vectores fragilizaram o Movimento mas dele podem e devem extrair-se pontos muito positivos"

Meu caro sabe o que se chama a isto

DESESPERO

A única que não se sabe é o porquê do desespero.Pode ser que com o tempo as razões venham ao de cima.

Faça uma pergunta a si próprio ou melhor pesquise e analise sem influência porque é que o BENFICA a partir dos anos oitenta chegou ao que é hoje.Ainda lhe dou uma dica tente saber no Reinado do Sr. Jorge de Brito como funcionava a gestão do Clube, quem eram as pessoas que o acompanhavam o que fizeram (alguns ainda andam aí e o você apoia)o aconteceu.Começou nesta altura não os tiros o estado a que o Benfica chegou. Já agora o Benfica ao contrário do que se diz não funciona em grupos e não é só a AV. general Norton de Matos ou o Grupo da linha (paços de Arcos , cascais , oeiras,o chamado grupo da linha)O BENFICA É UM MUNDO e infelizmente vejo pessoal a aparecer no nome BENFICA que nunca entraram no BENFICA.
Saudações

Ricardo disse...

João,

confesso-lhe que lido muito mal com pessoas que octaviomachadianas, como parece ser o seu caso.

Quando alguém chega e diz: "eu sei uma coisa mas não digo, procurem não sei o quê não sei quando não sei como e depois venham cá dar-me razão", eu normalmente levanto-me da mesa e vou fumar um cigarro lá fora.

Caso esteja interessado em discutir convenientemente, apresente o que sabe. E talvez possamos, então, conversar decentemente.

Kaskini, O Ninja disse...

Será que todos os benfiquistas têm a memória curta?! Será que todos os benfiquistas não sentem (para não dizer "verem") que se não fosse a Direcção do LFV a esta hora estavamos como o Boavista?! Será que não se recordam de como alguns senhores, que apoiam o Movimento, deixaram o clube à alguns anos?! Será que não vêm que o Benfica apenas tem tido azar nos seus resultados desportivos?! É a hora de continuar a apostar no LFV e RC e dar-lhes mais este ano para ganhar o campeonato. Apartir daí já não há desculpas.

LF disse...

Meus caros,

O Movimento Vencer vencer criticou, mostrou intenções, mas não fez qualquer proposta objectiva.

Querer vencer todos queremos. O pior é como o fazer.

A presidência de um clube como o Benfica não se limita a tratar de futebol. Há toda uma estratégia de financiamento, Há toda uma rede de parcerias. Há um trabalho de base que nem Veiga, nem Moniz nem Carvalho nem nenhum dos nomes apresentados está em condições de fazer.

O Benfica tem um modelo empresarial sólido, coisa que não tinha há uns anos atrás, quando muitos dos membros desse movimento lá estiveram (por exemplo Damásio, o segundo pior presidente da história do clube)

A formação está a começar a dar frutos.

A modalidades disputam todos os títulos.

Temos um canal de TV

Ganhar no futebol não se consegue por decreto, nem por magia.
O F.C.Porto é fortíssimo, tem uma grande equipa, uma estrutura montada, domina os mercados, tem mais dinheiro, e não se consegue ultrapassar apenas com boas intenções, mas sim com paciência e um trabalho de fundo que, com avanços e recuos, tem vindo a ser feito.

O Benfica ainda não vendeu ninguém, tem contratado bons jogadores (veja-se o Ramires), contratou um dos melhores treinadores portugueses da actualidade, está a seguir o seu caminho.

Cometeu erros ? Sim, cometeu, principalmente com alguns jogadores que deixou sair (Léo, Petit, Geovanni)

Mas antes erros destes, do que aqueles que comprometem o futuro do clube. Como por exemplo entregá-lo nas mãos de uma qualquer empresa investidora que todos sabemos o que pretende.

Paulo Santos disse...

LF, ganhar no futebol não se consegue por decreto nem por magia, de acordo, mas eu digo-lhe como é que se ganha, é com competência -algo que tem faltado em doses industriais no Benfica.

Quanto á conversa do bicho papão do Porto, por favor, tenha dó. O Porto tem imensas debilidades, só não as vê quem não quiser ver. Agora, com as oposições dóceis que tem tido, claro que é fortíssimo. Esse seu disparatado argumento só me faz lembrar a cara de Pôncio Monteiro, um destes dias, quando lhe perguntavam o que seria melhor para o Benfica, e ele respondeu, "que fique como está" -claro!

LF disse...

Mas em que é que se traduz essa "Competência", na prática ?

O que se deve fazer?

Contratar mais jogadores? Dispensar os que lá estão ?
Contratar outro treinador ?
Jogar com outro sistema táctico ?

Comprar árbitros ??

É que fala-se muito, mas na prática ninguém sabe como se "vence, vence".
Tudo o que vocês dizem não passa de uma manifestação de intenções.


Gostava também de saber quais são essas debilidades do Porto.
É que eu só vejo uma grande equipa, um domínio total do mercado, uma influência inacreditável nos outros clubes, uma presença internacional influente, dentro e fora dos campos, e dinheiro a entrar por todos os lados.

Como se faz? Dá-se um tiro no Pinto da Costa ? Sabota-se o avião da equipa ?

Em 7 anos eles ganharam 6 campeonatos. O outro foi nosso.
Têm uma estrututa fortíssima, que foram incrementando enquanto Damásio dormia, e Vale roubava.
Perdemos todo esse tempo. Ninguém ficou à nossa espera.
É esse o principal problema.

Paulo Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Santos disse...

Caro LF, não seja demagogo.

Vamos por partes. Relativamente às questões que levanta acerca da competência, é fácil.

Competência é a antítese de tudo o que LFV tem feito, designadamente ao nível do segundo mandato. Quer exemplos? Corro o risco de fazer um comentário enorme, mas penso que contribuir para a sua clarividência, vale a pena. Um clube que passa de Quique Flores para Jorge jesus no espaço de tempo relativo à passagem de uma época para outra, é um clube que revela não ter uma estratégia para o futebol. À semelhança, aliás, do que foi a época de Fernando Santos/Camacho/Chalana...uma verdadeira anedota que tentou ser mascarada com o irresponsável "empurrão" de Rui Costa - enquanto este ainda jogava - para o cargo de Director Desportivo...

Mas há mais...olhe competência é não convidar um ex-treinador de um clube, quando o actual treinador estava a ser fortemente contestado pelos adeptos e comunicação social, para esse ex-treinador (por sinal muito querido pelos adeptos na altura) vir ao estádio da Luz fazer a apresentação de um livro seu ou sobre si...

O contrário de competência é a equipa perder na Trofa e a seguir deixar o seu treinador dar um folga de 2 dias aos jogadores...

O contrário de competência é contratar um treinador porque este é desejado por 90% dos adeptos (esta é recente e saiu da boca do seu LFV numa entrevista à RTPN).
Você, caro LF, pode não saber como se vence, vence, mas deixe lá que o seu ídolo LFV pelo menos é perito em saber como se perde, perde...


Quanto ao Porto, o domínio do mercado não é assim tão evidente, que o diga o desgraçado do Cissokho.

Quanto ao dinheiro a entrar por todos os lados, olhe que aquele que sai é em doses bem maiores. Os resultados andam aí à vista para quem quiser ver. Esse clube que você tanto parece venerar,tem para cima de 60 (sim, 60!)jogadores assalariados, que serem uma estratégia específica, mas que, naturalmente, tem os seus custos! Não lhe parece, caro LF?

Quanto à equipa fortíssima, isso é uma grande falácia. O Porto esta época tinha um plantel manifestamente inferior ao do Benfica. O que fez verdadeiramente a diferença é a estabilidade - que por lá abunda - e a forte estrutura que apoia a equipa técnica, algo que no actual Benfica não existe...

Isto, meu caro, é que é o busílis da questão. E não me venha com o Damásio e o Vale e Azevedo, porque já lá vai uma década e o Porto continua a ganhar. E nós? Perder, perder. Ah, mas temos uma série de prémios Superbrand, e um dia destes, não se sabe muito bem quando, talvez o tal botão de que LFV fala, seja bem premido...

Quanto tempo mais será necessário para recuperar da era Damásio/Vale? Esse argumento qualquer dia começa a perder prazo de validade. Para mim já perdeu ao tempo, este Benfica, do qual eu jamais me afastarei, já tem um sabor azedo há muito tempo...

LF disse...

Apontou alguns erros, mas isso não chega para deitar abaixo uma direcção.
A questão da folga foi certamente da competência do treinador.

Há questões do âmbito presidencial muito mais importantes. Por exemplo a manutenção da maioria do capital nas mãos dos sócios (alguém mais dá essa garantia?), o ecletismo ou o acesso ao crédito bancário (muitos criticam os milhões gastos, mas ninguem louva a forma como eles foram conseguidos).

Há também aí uma contradição.
Então se o Benfica tinha melhor plantel que o Porto a direcção é que tem as culpas ?
Eu por acaso não acho. Mas se isso fosse verdade, a culpa seria então exclusivamente do treinador.

Quique Flores não resultou porque não conhecia o futebol português (é mais ou menos consensual).
Então optou-se por um treinador português. Nada mais natural.
Escolheu-se o melhor português disponível (ou não seria?). Tudo natural portanto.

Para um treinador ter força e tranquilidade no Benfica, precisa de algum consenso. A pressão mediática e dos sócios não deixou trabalhar Fernando Santos, como não deixaria trabalhar Quique, se cá ficasse.
Acho bem que o presidente tenha esse factor em conta.

Se há coisa que eu critico em LFV é não ter tido ainda coragem para baixar as expectativas dos sócios, e dizer-lhes que só com um trabalho a dois três anos será possível ao Benfica ser campeão.

apenasfutebol disse...

LF, você por vezes parece que não entende o que eu escrevo, ou então faz por isso. Quero acreditar na segunda hipótese. Quanto à folga, o que escrevi foi: "O contrário de competência é a equipa perder na Trofa e a seguir deixar o seu treinador dar um folga de 2 dias aos jogadores", ou seja, não esquecendo a óbvia responsabilidade do treinador, realcei o facto de o terem deixado fazer isso - um clube de futebol tem que ter uma estrutura (caberia ao Director Desportivo) que monitorize estas coisas, senão não faz sentido haver um Director Desportivo, se é para deixar o treinador fazer tudo. E há mais, relativamente a este particular - logo no início da época, deixou-se que Quique cometesse o erro crasso de dispensar Diamantino e Chalana das funções que Rui COsta lhes tinha destinado...entende agora LF?


Quanto á parte da manutenção da maioria do capital nas mãos dos sócios, não sei se Vieira será o único a dar essa garantia,tendo em conta a operação conjunta com Berardo...para além disso, tendo em conta a actual realidade dos clubes/SADs, não sei se isso será assim tão relevante - tenho sérias dúvidas. O caro LF acredita mesmo que tendo em conta as actuais estruturas dos clubes, esse factor é assim tão importante? Quanto ao ecletismo, antes de Vieira já o Benfica era o clube com mais títulos no Hóquei e no Basquetebol, mas pronto, é evidente que reconheço algum trabalho bem feito a Vieira, mal feito fora se em 8 anos não houvesse nada para mostrar...


Quanto à contradição, lá tenho eu que voltar a dizer que o caro LF não entende patavina do que escrevo, porventura serei eu a explicar-me mal. Quando digo que o plantel era superior, é precisamente para realçar o facto de que, independentemente do treinador (e essa foi uma péssima escolha comos e veio a verificar), é necessário uma estrutura forte que esteja por trás do treinador e demais equipa técnica, tal como já referi atrás, para que possa monitorizar, apoiar, sustentar o trabalho dessa equipa. O Benfica não tem isso, como aliás, o próprio treinador constatou no final da época - é que isto põe em causa a necessária capacidade do futebol do clube vencer, como também põe em causa os princípios e ética de um clube que sempre foi exemplo nesse particular. (excepto era Vale e Azevedo). A bandalheira com Quique no final da época foi uma vergonha... Como é que o meu caro explica que o Jesualdo tri-campeão no Porto tenha sido um flop no Benfica?

Para si é natural passar de Quique para Jorge Jesus? Muito bem, se isso é normal para si, lamento por si. Você deve achar normal almoçar num restaurante macrobiótico e jantar num restaurante de rodízio de carne...
Passar de Quique para Jesus, revela uma deriva na gestão do futebol do Benfica que chega a ser assustadora. Qualquer clube da dimensão do Benfica tem que ter definido a priori um modelo de jogo, um perfil de treinador que se coadune com isso. Chama-se Estratégia, algo que, infelizmente, o Benfica não possui.
O ano passado Rui Costa escolheu Quique - não resultou, este ano é a vez de Vieira escolher, para o ano talvez seja o Domingos Soares Oliveira e com um bocado de azar, ainda será o tratador da águia Vitória a fazê-lo...

Caro LF, não consigo atirar-lhe com mais evidências para cima dos olhos, consigo a fingir que não as vê. Esgotou-se-me a paciência, agora por favor, não me chamem parvo, que isso eu não sou. E no dia das eleições lá estarei a mostrar o meu cartão vermelho a esta Direcção da treta...

LF disse...

A maioria do capital nas mãos dos sócios é para mim uma questão absolutamente vital.
Até porque qualquer abertura será uma caixa de pandora irreversível. E depois nem adiantará votar contra ou a favor, neste ou naquele.
Nunca ouvi ninguém da oposição comprometer-se com isto. Aliás, nunca ouvi comprometerm-se com nada, a não ser a querer vencer (coisa comum a 150 mil sócios).

Se Vieira se metesse no trabalho do treinador seria acusado por isso. Assim é por não o ter feito. Ora...

Toda essa estrutura de suporte não se monta de um dia para outro.
O Benfica tem dado muitos passos nesse sentido. Para além do centro de estágio, criou um laboratório de alto rendimento onde os jogadores são analisados ao pormenor.
Falta ainda muita coisa. Nomeadamente no campo do departamento médico, ou no acompanhamento quotidiano e extra-desportivo aos jogadores, onde o Porto está anos-luz adiante.
Isso está a ser feito, mas são coisas que não se fazem por decreto. Têm avanços e recúos, são testadas, avaliadas, por vezes tem que se mudar.

O Benfica tem trabalhado nisso.
Diga-me quem, da oposição, tem condições para desenvolver esse tipo de trabalho.

Há por outro lado toda uma questão cultural que está virada contra o Benfica. O Porto tem menos adeptos, mas mais fanatismo. Está numa cidade mais pequena, e funciona como aglutinador regional.
Isso reflecte-se na cultura de clube, na exigência, no rigor.

O Benfica tem muitos adeptos, mas tem menos gente no estádio que o Porto. E muitos vão lá assobiar.

Isto é uma questão de décadas. Não se muda facilmente.



Não me fale de modelos de jogo. Isso faria eu ou você. E melhor que nós talvez o Luís Freitas Lobo...

Se entende que isso é o aspecto principal da função presidencial, e que vale a pena deitar uma casa abaixo por causa disso, então não vale a pena continuar a discussão.

apenasfutebol disse...

LF, não vale a pena. O maior cego é aquele que não quer ver...

Não me venha com balelas de questões culturais. Até ao início dos anos 90, a cidade de Lisboa não é substancialmente a mesma de agora? Por favor, não me venha com tretas, já lhe disse que parvo não sou...com que então no Dragão não se assobia? Pois não, pergunte ao Adriaanse!

Eu não lhe falei no modelo de jogo, o que eu queria dizer e reitero é que o Benfica não tem uma estratégia definida para o seu futebol - isso está à frente de quem quiser ver, e isso é, também, naturalmente algo da responsabilidade do Presidente! Mas é como digo, você é daqueles que nunca vai acordar, a sorte é que já há muitos benfiquistas que ultrapassaram essa letargia brutal em que o meu caro se encontra, senão nem quero imaginar o que poderia acontecer ao Benfica...

Catenaccio disse...

Vocês bem que se podiam encontrar para conversar: combinavam um café, sentavam-se e, se calhar, até acabavam por chegar à conclusão que são mais as coisas que partilham do que aquelas que os dividem.

Cumprimentos.

LF disse...

Acredito que o benfiquismo esteja acima destas questões, que espero se esgotem no próximo dia 4.